Programa Na Mão Certa

Inspiração a ser usada

A troca de experiências bem-sucedidas entre as empresas e entidades signatárias do Pacto Empresarial é um dos pontos altos dos encontros anuais promovidos pelo Programa Na Mão Certa. A primeira sessão de cases contou com a apresentação de ações realizadas pela Arcor do Brasil, Construtora Camargo Corrêa, Dudalina, Ecovia e Sete Estradas/Celote.

José Dib, da Arcor do Brasil, iniciou sua explanação contando um pouco da história da multinacional de origem argentina, que foi fundada há 59 anos e há 29 anos está presente no Brasil. Com 41 fábricas espalhadas pela América Latina, sendo cinco delas em território brasileiro, a Arcor produz cerca de 1.500 itens, entre alimentos, guloseimas, biscoitos e chocolates. Fundado em setembro de 2008, o comitê interno Arcor do Programa Na Mão Certa vem desenvolvendo desde então uma série de ações para diferentes públicos: interno, transportadoras, caminhoneiros e parceiros. Apesar das dificuldades em conciliar a agenda dos membros do comitê, que estão espalhados pelo Brasil, felizmente os resultados começam a aparecer. Hoje mais de 80% das transportadoras que prestam serviços à Arcor do Brasil já aderiram ao Pacto Empresarial e um número cada vez maior de funcionários tem se sensibilizado pela causa, seja pela formação de pontos focais e multiplicadores, seja por meio de eventos e materiais de divulgação que estão constantemente abordando o tema. Para Dib, o sucesso do programa na Arcor do Brasil está diretamente relacionado ao aval da alta gestão da empresa. “Comportamento não se muda com palavras, mas sim com ações. Por isso é tão importante a diretoria participar e apoiar a causa.” Ele também sugere a identificação de um “animador” dentro da companhia – aquele profissional que manterá os membros atentos e interessados.

A Ecovia – empresa que pertence do Grupo Ecorodovias S/A, que opera diversos terminais logísticos e concessões rodoviárias no país – também encontrou uma forma criativa de chamar a atenção dos caminhoneiros para a importância do enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes: inserir o tema na Ação Copa do Mundo 2010, realizada entre os dias 20 de junho e 11 de julho no Porto de Triagem de Paranaguá, no Paraná. Em sua apresentação, Maria Luiza Caldas explicou que a atividade – que faz parte do Programa Saúde Caminhoneiro, que visa reduzir o número de acidentes nas rodovias – contemplou a realização de quatro palestras educativas ministradas pelo analista de tráfego Rogério Heiss, multiplicador do Programa Na Mão Certa dentro da Ecovia. “Cerca de 100 caminhoneiros participaram de cada palestra. Também foram distribuídos mais de 3 mil exemplares dos Guias Na Mão Certa durante ação e na Praça de Pedágio.” Ela destacou ainda a importância das campanhas realizadas em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal e da divulgação do Programa em outdoors colocados em pontos estratégicos de estradas e antecipou o lançamento da campanha Caminhoneiros Unidos contra a Exploração Sexual Infantil, que contará com a distribuição de adesivos e camisetas.

Os Guias Na Mão Certa também têm sido amplamente utilizados nos treinamentos de motoristas ministrados pela Sete Estradas, empresa especializada em logística têxtil que, a convite da C&A Modas, assinou o Pacto Empresarial em 2007. “O guia Caminhoneiro - Dirija por um Novo Brasil serviu até de inspiração para a criação do nosso Manual do Motorista, o que, posteriormente, resultou na redução da taxa de sinistralidade em 13%”, contou Gildailton Pereira. De acordo com ele, a pesquisa O Perfil do Caminhoneiro no Brasil também motivou a Sete Estradas, que pertence ao mesmo grupo do Celote (Centro Logístico Têxtil) – a implementar o SAM, sigla de Sistema de Atendimento ao Motorista, serviço que funciona 24 horas e que já diminuiu em 33% o tempo de espera. O próximo passo agora é formar mais pontos focais e multiplicadores e levar o Programa Na Mão Certa para a cadeia de stakeholders, ou seja, fornecedores, clientes, comunidade em torno da empresa e familiares dos motoristas.

A conscientização de fornecedores por meio de oficinas é uma das principais ações desenvolvidas pela Construtora Camargo Corrêa, desde a assinatura do Pacto Empresarial, em 2008, quando a companhia também decidiu inserir uma Cláusula de Fomento em seus contratos de materiais e serviços de terceiros. Desde 2009, 92 fornecedores foram sensibilizados pela construtora. Em 2010, também teve início um projeto de identificação e mapeamento das transportadoras estratégicas por região, que resultou na criação de quatro grupos em todo o país. Todos eles passaram a receber capacitação de pontos focais e multiplicadores do Programa Na Mão Certa. Outra iniciativa já em andamento é o Programa “Grandes Obras” (nome provisório), que visa levar a discussão da temática a um maior número de pessoas. “Pretendemos agora aumentar a divulgação interna do Na Mão Certa e firmar parcerias com a área de logística e sindicatos locais”, disse Letícia Moraes Silveira Santos.

Rui Leopoldo Hess de Souza, da camisaria Dudalina, encerrou a primeira sessão de cases reforçando o comprometimento da empresa em divulgar o Programa Na Mão Certa para toda sua cadeia de stakeholders. Ele também destacou as ações de incentivo à formação de grupos de geração de renda, por meio da doação de matéria-prima, máquinas e capacitação de pessoal, especialmente de comunidades carentes. A empresa, que recentemente se tornou signatária do Pacto Empresarial, apresentou ainda uma proposta de sacola social, produto também desenvolvido junto a comunidades para substituir as sacolas plásticas e, assim, reduzir o lixo produzido nas cidades. “Essa pode até ser uma solução alternativa para ampliar a divulgação do Na Mão Certa.”

 

  Leia também  

Cinco anos de desafios – e conquistas!
O que está mudando nas rodovias
Ideias que viraram ações
Vulnerabilidade mapeada
O papel de cada um
Participação ativa

 

Voltar