Programa Na Mão Certa

Ação conjunta na Triplice Fronteira

Na quinta edição da Jornada contra o Tráfico e a Exploração de Crianças e Adolescentes na Tríplice Fronteira, realizada na última semana de julho, Brasil, Argentina e Paraguai discutiram a padronização de procedimentos de proteção e acesso do direito da criança e do adolescente.

Cada encontro discute um tema diferente. No anterior, realizado em 2008, o tema foi a capacitação das forças de segurança quanto aos direitos das crianças e adolescentes na região da Tríplice Fronteira. Nesse ano, o encontro aconteceu na cidade argentina de Puerto Iguazu.

Segundo informações divulgadas durante o evento, existem cerca de 3.500 crianças e adolescentes afetados por algum tipo de violência sexual na região das três fronteiras. No encontro realizado nesse ano o Brasil foi representado pelo Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS).

“Há meninas que se vendem por um lanche ou por um passe de ônibus”, conta Suely Ruiz, coordenadora nacional do Programa de Eliminação e Prevenção da Exploração Sexual da OIT na região da tríplice fronteira. “A área da Ponte da Amizade é um local onde há a presença de adolescentes na rua e há uma situação de informalidade no trabalho, que leva ao trabalho infantil e, por conseqüência, à exploração sexual. As crianças ali estão vulneráveis à ação dos aliciadores”, explica Suely.  

 

  Leia também  

Da coordenação: avanços e mudanças no Programa
Avançam os desafios do Comitê de Gestão Participativa
Dia da cidadania na CART
Belcar: responsabilidade social e respeito à diversidade
Translocal sensibiliza caminhoneiros
De olho no assunto - resumo das principais notícias

 

Voltar