Programa Na Mão Certa

De olho no assunto

Em MT, violência sexual contra crianças está concentrada em 29 cidades. Lula chama pedófilos de irracionais e pede combate ao trabalho infantil. Autoridades defendem cooperação internacional para combater exploração sexual de crianças e adolescentes. Violência sexual contra crianças e adolescentes será discutida em seminário na Paraíba. Documento revela que pais aliciam as próprias filhas no Pará.

Em MT, violência sexual contra crianças está concentrada em 29 cidades
Pesquisas indicam que, no Mato Grosso, a violência sexual contra crianças e adolescentes está concentrada em 29 cidades, e atinge muito mais meninas que meninos. Dos 6.387 casos registrados em 2007 por órgãos de proteção instalados no estado, 39% foram contra meninos e 61% contra meninas. No ano passado, foram registrados no estado 2.070 casos de abuso sexual, 1.594 de negligência, 1.235 de violência psicológica, 754 de exploração sexual e 734 de violência física. Todos esses crimes foram praticados em apenas 29 municípios. Destes, o recordista é o município de Nobres, com 2.615, seguido por Cáceres, Sinop, Tangará da Serra e Alta Floresta. Entre os pontos favoráveis à violência citados no estudo está a fragilidade na política de defesa de crianças e adolescentes, poucos projetos e programas preventivos, e a existência de 130 pontos vulneráveis, localizados ao longo das rodovias, em paradas de ônibus, postos de gasolina e bares.

Jornal Documento


Lula chama pedófilos de irracionais e pede combate ao trabalho infantil
No Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, 12 de junho, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lamentou os casos de pedofilia no mundo. O presidente disse que o pedófilo "não pode ser chamado de animal racional". Segundo Lula, o crime de violência sexual contra crianças é "abominável". O presidente apelou ainda para que os empresários cooperem com o esforço do governo para conter a exploração do trabalho infantil no país. "A pedofilia eu acho uma coisa abominável. O cidadão que pratica aquilo não pode ser chamado de animal racional. Ele é um animal irracional", disse o presidente, informando que se reuniu na semana passada com os integrantes da CPI da Pedofilia do Senado, que detalharam as ações da comissão. O presidente apelou também para que empresários se unam ao governo no combate à exploração do trabalho infantil. "Não tem sentido contratarem crianças para trabalhar", afirmou Lula durante solenidade no Palácio do Planalto. Na cerimônia, o presidente assinou decreto que estabelece a lista das piores formas de trabalho infantil no Brasil com base nas diretrizes da OIT (Organização Internacional do Trabalho). Pelo decreto, foram definidas 109 atividades econômicas que passam a ser tratadas como crime a exemplo de trabalho escravo, da exploração sexual, do tráfico de drogas e outras atividades que ponham em risco a saúde, a segurança e a moral de crianças e adolescentes.

Folha Online


Autoridades defendem cooperação internacional para combater exploração sexual de crianças e adolescentes
O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ) considerou "vergonhoso" que o país seja apontado como "fonte de tráfico de mulheres e crianças" para exploração sexual, e defendeu a cooperação internacional para combater o problema. Humberto Gomes de Barros criticou, entretanto, a posição dos países ricos que apontam o problema, mas são responsáveis pela grande procura da exploração sexual de crianças e adolescentes. "A demanda da exploração sexual de crianças vem principalmente de países como os Estados Unidos e os da Europa. Eles que desarrumaram o mundo, agora têm que ajudar a reajustar", afirmou, defendendo uma maior atuação da polícia desses países para combater o tráfico de seres humanos. O Relatório sobre Tráfico de Pessoas, divulgado no início do mês pelo Departamento de Estado norte-americano denuncia que mais de 250 mil crianças brasileiras são exploradas na prostituição, segundo dados da própria Polícia Federal. O documento refere ainda que o governo brasileiro "não preenche os padrões mínimos para a eliminação do tráfico", mas que "tem feito esforços nessa direção".

Jornal de Notícias


Violência sexual contra crianças e adolescentes será discutida em seminário na Paraíba
Durante os dias 17 e 18 de junho, João Pessoa sediou o Seminário de Elaboração do Plano Operativo de enfrentamento à violência sexual contra crianças e adolescentes. O evento faz parte das ações de expansão do Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil no Território Brasileiro (Pair), que estão sendo realizadas desde junho do ano passado nos municípios de Bayeux, Cabedelo, João Pessoa e Patos. O objetivo do programa é integrar políticas públicas e articular parceiros para construção de uma agenda comum de trabalho, entre governos e sociedade civil, visando o desenvolvimento de ações de prevenção e atendimento a crianças e adolescentes vulneráveis ou vítimas de exploração sexual. Na Paraíba, vinte e sete municípios foram identificados na Matriz Intersetorial, elaborada pela SEDH, com maiores incidências do fenômeno da violência sexual contra crianças e adolescentes.

Portal Paraíba


Documento revela que pais aliciam as próprias filhas no Pará
Relatório do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana apresentado no último dia 10, denuncia que crianças vêm sendo aliciadas para a prostituição pelas próprias famílias. O documento revela ainda que os pais vendem as próprias filhas para trabalharem em casas de família e de prostituição. Sérgio Mazina, vice-presidente do Instituto Brasileiro de Ciências Criminas explica que esta é uma prática muito comum em algumas cidades brasileiras. “A estrutura continua muito ativa no interior, já que dentro de casa a criança não tem o prato de comida garantido”.  Em muitos locais, como Abaetetuba (PA), nos quais não há uma rede de exploração sexual, as crianças também sofrem. A maioria dos autores de abuso sexual na cidade é composta por familiares das vítimas.

O Globo

 

  Leia também  

Programa Na Mão Certa mapeia oportunidades de ações de enfrentamento nas rodovias brasileiras
PAC pode agravar exploração sexual de crianças e adolescentes
Ação Empresarial: Cargoquímica oficializa apoio ao Programa Na Mão Certa
Ação empresarial: Suzano mobiliza transportadoras a enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes
Ação empresarial: Ação promovida por Vale do Ivaí atinge 230 caminhoneiros
Doença sexual atinge 26% dos caminhoneiros

 

Voltar