Programa Na Mão Certa

Ação Empresarial: Fórum de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes

No último dia 20, a Cerbel Barretos Distribuidora de Bebidas, signatária do Pacto Empresarial e atuante em cerca de 50 cidades do interior do estado de São Paulo, realizou o Fórum de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. O evento aconteceu na cidade de Bebedouro (SP) e contou com aproximadamente 300 participantes, entre professores, profissionais da saúde, entidades públicas de proteção à criança e ao adolescente, ONGs e representantes do setor privado.

O principal objetivo do fórum, segundo a gerente de projetos da Cerbel, Aneliese Martins, foi a mobilização e o comprometimento da sociedade no enfrentamento do problema. “Buscamos promover ações articuladas entre governo, entidades não-governamentais e iniciativas privadas na busca pela prevenção e combate à violência, ao abuso e à exploração sexual”, afirma.

De acordo com Aneliese, o envolvimento da Cerbel com o Programa Na Mão Certa e o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes começou com uma preocupação com os próprios funcionários. “Em média, de 100 a 150 motoristas atendem a empresa ao longo do ano. Muitos deles trafegam ou residem em bairros considerados áreas de risco. Entramos na causa com essa preocupação, mas hoje entendemos que, para erradicar esse problema, temos que tentam mobilizar toda a sociedade”.

Durante o fórum, várias palestrar abordaram a legislação, as formas de proteção e toda a problemática envolvida na exploração sexual de crianças e adolescentes. Entre os resultados obtidos ainda durante o evento está a elaboração de propostas de trabalho conjunto entre os participantes, com ênfase nos grupos de trabalho de crianças e adolescentes. “Tivemos um espaço durante o fórum onde foram formados grupos de trabalho com os participantes. Cada grupo produziu no mínimo três propostas, que serão tratadas pelo grupo gestor do fórum e, futuramente, transformadas em um plano de combate à exploração, ao abuso e à violência contra crianças e adolescentes no município”, comemora Aneliese.

O primeiro material produzido será uma cartilha que trata de diversos assuntos relacionados à saúde e à qualidade de vida de crianças e adolescentes. “Um dos temas dessa cartilha é o respeito à criança e à sua integridade. Ele terá um capítulo que ajudará pais e professores a identificar se uma criança ou adolescente está sofrendo abuso ou violência sexual, ou algum tipo de constrangimento”, completa.

 

  Leia também  

Impunidade dificulta combate ao abuso e à exploração sexual, aponta Unicef
Ação Empresarial: Dudalina
Ação Empresarial: Temar 3
Banco de dados unificado entre ONGs enfrenta a exploração sexual de crianças e adolescentes no Pará
De olho no assunto - resumo das principais notícias

 

Voltar