Programa Na Mão Certa

De olho no assunto

Maioria das denúncias do Disque 100 é de violência sexual contra crianças e adolescentes. Sesi anuncia início de projeto contra exploração sexual em Pernambuco. Estudo revela que 290 mil pessoas dirigem alcoolizadas por dia no país. Pesquisa aponta que 30% dos motoristas de caminhão trabalham sob efeito de cocaína

Maioria das denúncias do Disque 100 é de violência sexual contra crianças e adolescentes
A maior parte dos casos de violência contra crianças e adolescentes registrados pelo Disque Denúncia é de violência sexual. O dado foi revelado em relatório da Secretaria Especial dos Direitos Humanos (SEDH), que leva em consideração denúncias feitas entre maio de 2003 e fevereiro deste ano. Nesse período, o Disque Denúncia (ou Disque 100, como também é conhecido) recebeu e encaminhou 57.664 denúncias de todo o Brasil e conseguiu separar e classificar 49.599 em tipos de violência. De acordo com dados do relatório, cerca de 19% delas refletem casos de abuso sexual contra crianças e adolescentes, 13% de exploração sexual comercial e 0,56% de pornografia.

Agência Brasil


Sesi anuncia início de projeto contra exploração sexual em Pernambuco
Jovens em situação de exploração sexual vão participar de um projeto encabeçado pelo Sesi com o apoio do Governo Federal e do Governo do Estado de Pernambuco. Na experiência piloto, devem participar 100 meninas com idade acima de 16 anos, que vão receber cursos profissionalizantes com duração entre seis e oito meses, uma ajuda de custo de R$ 500 e a garantia de um emprego ao final do curso. De acordo com Jair Meneghelli, presidente do Conselho nacional do Sesi, a intenção é começar o projeto no período de dois meses. Os cursos serão financiados pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e as aulas serão desenvolvidas pelo Sistema S e pelo Conselho Nacional do Sesi.

Portal Pernambuco


Estudo revela que 290 mil pessoas dirigem alcoolizadas por dia no país
Estimativa do Ministério da Saúde indica que, diariamente, 290 mil pessoas dirigem alcoolizadas no país. De acordo com o estudo, o consumo abusivo de bebidas seguido de direção é maior na capital do Tocantins. Em Palmas, 4,5% das duas mil pessoas pesquisadas confessaram o costume. No Distrito Federal, o uso indevido de bebidas seguido do ato de dirigir automóveis atinge 3,5% dos entrevistados. A menor freqüência foi no Rio de Janeiro, 1%. O percentual geral para todas as capitais brasileiras, cidades nas quais foram feitas entrevistas, foi de 2% da população. A associação álcool e direção é mais freqüente entre homens ( 4%) do que entre mulheres (0,3%). Em todo o país, a população masculina de Teresina (PI) é a que mais bebe e dirige - 9,5% dos entrevistados. As mulheres do Distrito Federal, com 1,8%, e as de Palmas, com 1,6%, são as que mais ingerem bebida alcoólica e depois dirigem. 

Agência Brasil


Pesquisa aponta que 30% dos motoristas de caminhão trabalham sob efeito de cocaína
Pesquisas apresentadas à Câmara dos Deputados no dia 9 de abril denunciaram que 30% dos motoristas de caminhão que trafegam em Mato Grosso trabalham sob o efeito de cocaína e outros estimulantes químicos. O estudo foi apresentado pelo procurador do Ofício de Rondonópolis (MT), Paulo Douglas Almeida de Moraes, e tem como base exames de urina feitos nos motoristas. O resultado ainda mostra que 15% deles se encontravam em estado de pré-overdose quando o exame foi realizado. Moraes afirmou que os números mostram a necessidade urgente de adoção de medidas de controle da jornada de trabalho dos caminhoneiros, como propôs o Ministério Público do Trabalho, não só no Mato Grosso como em todo o país. Segundo o procurador, o excesso de jornada é o principal motivo que leva os motoristas a consumir estimulantes. Em contrapartida, o presidente da Federação das Empresas de Transporte de Carga do Rio Grande do Sul, Paulo Vicente Caleffi, afirmou que a pesquisa retrata a realidade de Mato Grosso, mas não a do País. Ele disse ser contra a instalação de tacógrafos para medir o tempo de direção dos motoristas, e apontou como principal problema para o transporte de carga a má conservação das estradas.

Última Instância

 

  Leia também  

Empresas de papel e celulose se unem contra a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas
Confenar mobiliza revendas Ambev e empresas de logística e distribuição sobre Programa Na Mão Certa
Holcim reforça compromisso com Pacto Empresarial em evento sobre segurança

 

Voltar