Programa Na Mão Certa

Nos 10 anos do Programa Na Mão Certa, C&A reúne caminhoneiros para debater a profissão e a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas

Iniciativa contou com a presença do jornalista Pedro Trucão

“Até pouco tempo, a convocação era pra dar dura e agora é pra bater papo, engajado numa causa de prevenção da exploração sexual de crianças e adolescentes.” Foi assim que Pedro Trucão, jornalista especializado em transporte rodoviário de carga, abriu a roda de conversa com caminhoneiros no dia 19 de maio, na sede da C&A, em Barueri (SP). Além dos caminhoneiros presentes no local, também participaram do bate-papo por vídeo-conferência, caminhoneiros que trabalham para a C&A situados no Rio de Janeiro e na sede do Butantã, zona oeste da capital paulista.

Há mais de 30 anos se dedicando a relatar a vida e as particularidades da profissão de caminhoneiro no Brasil, Pedro Trucão destacou que o motorista de caminhão costuma ser mal visto pela sociedade e só é lembrado por “trazer comida pra mesa”. Para ele, o caminhoneiro precisa adotar uma postura profissional, afinal, o caminhão é “uma arma” quando mal utilizado. Por outro lado, afirmou Trucão, sempre que isso ocorre, sua imagem é vista com outros olhos, como são os casos em que caminhoneiros atuam para denunciar situações de exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas do país. “Isso ganha pontos, a sociedade agradece”, disse Trucão.

O evento, promovido pela C&A, foi realizado no âmbito do Programa Na Mão Certa, que reúne mais de 1.600 empresas e entidades empresariais signatárias do Pacto Empresarial contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileirase que tem como principal estratégia a sensibilização dos caminhoneiros para atuarem como agentes de proteção dos direitos de crianças e adolescentes, com foco no enfrentamento da exploração sexual.

“Dá pra mudar? Dá. Quem pode fazer isso? Quem está de olho na pista”, afirmou Pedro Trucão, enfatizando a importância do caminhoneiro agir como um agente de proteção, denunciando sempre que houver suspeita de exploração sexual, principalmente nos postos de parada nas rodovias.

Durante a roda de conversa, Luís Cláudio Martão, Gerente de Operações Logísticas da C&A, lembrou do primeiro contato feito com a Childhood Brasil, em 2007. “Entendemos naquela época que era importante participar e se engajar na causa. Dez anos depois, fazemos um balanço e estamos contentes com tudo o que temos feito. A C&A conta com cada transportador, com cada motorista que é um agente de mudança.”

Também presente no encontro, Eva Dengler, Gerente de Programas e Relações Empresariais da Childhood Brasil, relembrou que a C&A é uma empresa pioneira, pois foi uma das primeiras do País interessada em integrar o Programa Na Mão Certa.

“O Programa sempre promoveu que as empresas cuidassem melhor dos caminhoneiros”, afirmou Eva. O Programa nasceu em 2005, a partir dos resultados da pesquisa O Perfil do Caminhoneiro no Brasil, possibilitando a compreensão da realidade do dia a dia do caminhoneiro. “Passados dez anos, sempre monitorando o perfil dos caminhoneiros por meio da pesquisa, temos a certeza de que vocês são heróis, vocês são o megafone para falar de proteção da infância nas estradas”, disse, destacando a importância de ouvi-los para entender a situação e construir soluções. “Estamos buscando mudanças que são lentas. Uma reunião como essa, parando a operação, era inimaginável há dez anos.”

Durante a roda de conversa, os caminhoneiros abordaram diversos aspectos relacionados à realidade da profissão e a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas. Entre os pontos discutidos, um dos mais importantes tratou da qualidade e segurança dos postos de parada nas estradas, com suas semelhanças e diferenças nas diversas regiões e cidades do País, algo fundamental para a vida do caminhoneiro e também para o efetivo enfrentamento da exploração sexual.

“Quanto mais seguro for o posto, mais iluminado, também melhor para a proteção da criança e do adolescente”, afirmou Eva Dengler.

Após quase duas horas de debate, o caminhoneiro Marcos Varelli, do Rio de Janeiro, resumiu bem a iniciativa promovida pela C&A no âmbito do Programa Na Mão Certa: “Tenho mais de 20 anos de profissão e é a primeira vez que vejo uma empresa fazer esse tipo de reunião”, finalizou.

DESTAQUE 10 ANOS
Compromissos do Pacto Empresarial atendidos:

    

Desde a elaboração da pesquisa sobre o perfil do caminhoneiro brasileiro, em 2005, e o lançamento do Programa Na Mão Certa no ano seguinte, a Childhood Brasil tem convicção do papel crucial que pode ser desempenhado por cada caminhoneiro no enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas do País.

A roda de conversa promovida pela C&A, mais do que uma ação situada no contexto do “Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, é uma iniciativa que demonstra um novo olhar da empresa diante de seu profissional. Ao dar voz aos seus caminhoneiros num diálogo franco, a empresa demonstra vê-los como cidadãos com anseios e desejos.

Melhorar as condições de trabalho do caminhoneiro, incluir o tema nos treinamentos desse profissional edifundir boas práticas.
Participar continuamente de campanhas para erradicar o problema.
Estabelecer relações comerciais com fornecedores que estejam compromissados com os princípios do Pacto.
Informar e incentivar seus funcionários a participar de ações para eliminar o problema.
Apoiar projetos de atenção a crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual ou vulneráveis a ela, com recursos próprios e/ou do Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), em parceria com governos e/ou organizações sem fins lucrativos.
Monitorar os resultados de suas ações e divulgá-las para a sociedade.
No caso de federações e entidades empresariais representativas, considerando que estas não possuem poder fiscalizador, o compromisso consiste em recomendar a seus associados que observem as práticas recomendadas no pacto.

 

  Leia também  

Patrus lança aplicativo para melhorar o relacionamento entre a empresa e os caminhoneiros
Desafios e oportunidades da atuação em rede no enfrentamento à violência sexual de crianças e adolescentes
Globo Estrada Na Mão Certa

 

Voltar