Programa Na Mão Certa

Em 'blitz educativa', concessionária Rota Atlântico orienta motoristas na véspera do Carnaval

Ação em Pernambuco alcançou cerca de 450 motoristas de veículos leves, pesados e motociclistas

Em fevereiro desse ano, a Concessionária Rota do Atlântico realizou a edição de carnaval do seu Programa Cidadania na Pista. A ação foi pensada como uma espécie de “blitz educativa”, com serviços de saúde, cuidados no trânsito e orientações sobre o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas.

Durante a ação, realizada em parceria com o DETRAN de Pernambuco, Polícia Rodoviária Estadual e Safety Med, cerca de 450 motoristas de veículos leves, pesados e motociclistas foram sensibilizados sobre o problema da exploração sexual de crianças e adolescentes, além de participar da realização de exames rápidos, como aferição da pressão arterial e teste de glicose.


Sensibilização no trânsito

Na abordagem qualificada, os motoristas eram incentivados a denunciar a exploração sexual de crianças e adolescentes por meio do Disque 100, além de receberem também orientações relacionadas ao respeito ao limite de velocidade, o uso do cinto de segurança, a não utilização de celular ao volante e contra o consumo de bebida alcoólica. Nesse modelo de abordagem, temas de interesse dos motoristas, como recomendações de seguranças na estrada, funcionam como uma estratégia para introduzir e conscientizar os condutores sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas do país.

Desde novembro de 2011, a Concessionária Rota do Atlântico administra a rodovia que dá acesso ao Complexo Industrial Portuário de Suape, com mais de 100 empresas instaladas, e ao Litoral Sul de Pernambuco, vias denominadas PE-009 e VPE-052. O trecho da rodovia sob Concessão inicia na BR-101 Sul, na altura do Hospital Dom Helder Câmara, no município do Cabo de Santo Agostinho.

DESTAQUE 10 ANOS
Compromissos do Pacto Empresarial atendidos:

   

A Childhood Brasil vem investindo muito na compreensão da exploração sexual de crianças e adolescentes no âmbito de grandes eventos. Além de projetos dedicados durante a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, sabemos que o setor privado é um potencial disseminador de campanhas para o enfretamento da exploração sexual de crianças e adolescentes durante outros eventos, com especial destaque para o Carnaval.

O exemplo da Concessionária Rota do Atlântico reúne, numa ação, algumas dicas importantes para o setor de concessão de rodovias ao trazer um destaque para a proteção de crianças e adolescentes durante o Carnaval de maneira transversal, alinhado com outras mensagens de segurança e educação no trânsito que são exigidas do setor.


Melhorar as condições de trabalho do caminhoneiro, incluir o tema nos treinamentos desse profissional edifundir boas práticas.
Participar continuamente de campanhas para erradicar o problema.
Estabelecer relações comerciais com fornecedores que estejam compromissados com os princípios do Pacto.
Informar e incentivar seus funcionários a participar de ações para eliminar o problema.
Apoiar projetos de atenção a crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual ou vulneráveis a ela, com recursos próprios e/ou do Fundo da Infância e da Adolescência (FIA), em parceria com governos e/ou organizações sem fins lucrativos.
Monitorar os resultados de suas ações e divulgá-las para a sociedade.
No caso de federações e entidades empresariais representativas, considerando que estas não possuem poder fiscalizador, o compromisso consiste em recomendar a seus associados que observem as práticas recomendadas no pacto.

 

  Leia também  

Iniciativa da InterCement para enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes vira lei em cidade mineira
Ações com caminhoneiros integram projeto amplo de proteção em obra de expansão da Fibria em MS
Unidade móvel vai ao encontro dos caminhoneiros para formá-los como agentes de proteção
Globo Estrada Na Mão Certa

 

Voltar