Programa Na Mão Certa

A arte imita a vida para contar os 10 anos da trajetória do Programa

Fotos: Romero Cruz

Os caminhoneiros Geraldo e Marcelo, representados por dois atores, reviveram a trajetória do Programa


A seriedade da temática tratada ao longo do evento de 10 anos do Programa Na Mão Certa foi levemente diminuída quando Eva Dengler, gerente de programas e relações empresarias da Childhood Brasil, chamou para o palco Geraldo e Marcelo para assumirem o comando do encontro.

Geraldo, um caminhoneiro com 35 anos de profissão, casado com a Ana, pai de dois filhos, Maurício e Renata, avô da Bianca e do João. Trabalha como agregado de várias transportadoras puxando carga da região do Mato Grosso para o Paraná e São Paulo. Marcelo, 15 anos de profissão, solteiro, mas noivo da Maria Flor. Autônomo, dono do seu próprio caminhão, tem viajado pelo Brasil de Norte a Sul, transportando grãos.

Os dois subiram ao palco e dominaram a cena até o final da história, contando a trajetória do Programa Na Mão Certa e como ele afetou suas vidas. Eram então os caminhoneiros Geraldo e Marcelo, representados por dois atores

Geraldo lembrou que, em 2005, a primeira pesquisa “O Perfil do Caminhoneiro no Brasil” mostrou que de cada 10 caminhoneiros entrevistados, 6 não se envolviam em programas sexuais com crianças ou adolescentes. Na última pesquisa, realizada em 2015, esse número subiu para 9 de cada 10 caminhoneiros entrevistados, uma grande mudança de posicionamento de 63% dos caminhoneiros para 88%. Em 10 anos, 25% dos caminhoneiros mudaram e demonstram uma conscientização muito maior de seu papel como agente protetor.

Geraldo destacou que o setor do transporte rodoviário de carga no Brasil é realizado por dois milhões de caminhoneiros, sendo um milhão com vínculo CLT ou agregados, e um milhão de autônomos que buscam frete diariamente. A estratégia de cobertura do Programa Na Mão Certa foi focar nas empresas transportadoras e alcançar 50% dos caminhoneiros, sem esquecer das ações paralelas para chegar nos autônomos.

Outro destaque é o resultado de adesões por setores da economia. O grande objetivo do Programa era alcançar o maior número de empresas de transporte rodoviário de carga, com apoio dos embarcadores, que são as empresas de outros setores que contratam transporte. Atualmente, 65% das adesões são de empresas de transporte rodoviário de carga.

Já Marcelo trouxe vida às campanhas realizadas ao longo desses 10 anos, em especial a campanha institucional do Programa: “Vamos acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas”, reforçando a ideia de que a responsabilidade de enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes é de todos.

Reforçou também a criação de uma campanha dirigida aos caminhoneiros, com um convite aberto: “Caminhoneiros, juntos vamos acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias” Seja um agente de proteção. Ligue 100 e denuncie”.

A comunicação do Programa Na Mão Certa vem sendo realizada ainda pelo filme “O Brasil Na Mão Certa”, com foco na sensibilização da sociedade para a causa, em especial, para chamar a atenção do setor empresarial, e do CD com o programa de rádio Na Mão Certa, com 46 minutos de entrevistas, depoimentos e músicas, criado em parceria com o jornalista Pedro Trucão para os caminhoneiros ouvirem na boleia durante a viagem e multiplicarem o presente entregando para outro caminhoneiro pelo Brasil afora. Em 10 anos, foram distribuídos mais de 800 filmes e 40 mil Cds.

Educação como caminho

Pensando no desafio da educação no meio corporativo, foram definidos dois perfis de colaboradores para apoiar a implantação do Programa Na Mão Certa nas empresas: o Ponto Focal e o Multiplicador. O Ponto Focal é o responsável pela gestão do Programa na empresa e faz a articulação interna e a interlocução com a Childhood Brasil, enquanto o Multiplicador tem a responsabilidade de sensibilizar, informar e formar os caminhoneiros e outros profissionais da empresa sobre o que é o problema da exploração sexual de crianças e adolescentes e a sua manifestação nas rodovias brasileiras.

A atuação destes voluntários nas empresas é realizada com apoio de material didático desenvolvido pela Childhood Brasil. Para o Ponto Focal foi criado o Guia Compromissos e Ações, um manual didático de implantação do Programa a partir dos compromissos assumidos no Pacto. Para o Multiplicador, o Guia Projeto de Educação Continuada, um material completo de formação sobre a causa e abordagem dos caminhoneiros.

Além dos materiais didáticos, o programa passou a realizar oficinas de formação de Pontos Focais e Multiplicadores. A procura por estas oficinas cresceu na mesma medida em que empresas e entidades foram aderindo ao Pacto, tornando necessário criar um ciclo de workshops regionais que anualmente passa pelas cinco regiões do Brasil.

Já o caminhoneiro Marcelo lembrou da estratégia do Programa de influenciar importantes indicadores externos de responsabilidade social corporativa. No Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) da BOVESPA foram incluídas questões sobre compromisso formal de práticas de prevenção e enfrentamento da Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes; o Guia Exame de Sustentabilidade a incorporação de questões sobre Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nos critérios de Relações de Trabalho e Direitos Fundamentais nos indicadores de Trabalho Infantil e Gestão de Fornecedores; e o Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS), em seu Manual de Compras Sustentáveis, diz que a contratação de serviços de transporte participantes do Programa Na Mão Certa conta pontos favoráveis na verificação do grau de sustentabilidade da empresa.

Projeto Mapear

Desde 2008, a parceria entre a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Childhood Brasil tem obtido significativos resultados na identificação de pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais com o Projeto Mapear. Mapeamentos bianuais foram realizados a partir de 2009 e as publicações trazem dados que permitem acompanhar e monitorar o movimento dos pontos vulneráveis nas rodovias federais.

No último mapeamento 2013/2014, foram levantados 1.969 pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais do Brasil. As empresas do Programa Na Mão Certa têm acesso restrito e confidencial à lista de pontos vulneráveis e, com isso, podem planejar suas rotas e reforçar a educação continuada com seus motoristas.

SEST SENAT e Projeto Proteger

A mais recente parceria para ampliar a prevenção e o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias brasileiras foi firmada no início de 2016. Trata-se do Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o SEST SENAT e a Childhood Brasil.

O objetivo é adaptar a metodologia do Programa Na Mão Certa para o Projeto Proteger, que alcançará, na primeira etapa, caminhoneiros em 30 unidades operacionais situadas em rodovias e municípios com os maiores índices de vulnerabilidade à exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

  Leia também  

Programa Na Mão Certa celebra 10 anos, revive sua trajetória e projeta novos desafios
Os primeiros passos numa longa estrada
Case Truckers Against Trafficking mostra inovações e semelhançass no enfrentamento da exploração sexual
Roda de conversa com caminhoneiros expõe os desafios do engajamento
Encontro Anual apresentou as diretrizes do Programa Na Mão Certa
Globo Estrada Na Mão Certa

 

Voltar