Programa Na Mão Certa

Pesquisa: 87% dos motoristas afirmam não se envolver com a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas

Fotos: Romero Cruz


Elder Cerqueira-Santos, coordenador da pesquisa

O ponto alto do 9º Encontro Anual Na Mão Certa foi a apresentação da pesquisa O Perfil do Caminhoneiro no Brasil. O estudo, coordenado pelo professor Dr. Elder Cerqueira-Santos, apresenta dados sobre a vida do motorista de caminhão, sua relação com o trabalho, com a família e com a sexualidade, principalmente no que diz respeito ao enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas.

Essa é a terceira edição da pesquisa, que teve sua série histórica iniciada em 2005 e vem sendo realizada a cada cinco anos. O objetivo é entender como é a vida nas estradas e como o caminhoneiro se vê enquanto profissional e cidadão. Como ponto central, investiga como ele se relaciona com a sexualidade e como se posiciona diante da exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas.

Desde a primeira pesquisa, o número de caminhoneiros que autodeclaram estar envolvidos com a violação de direitos caiu significantemente. Hoje, uma minoria ainda afirma explorar sexualmente crianças e adolescentes. Entre os profissionais entrevistados, 87% dizem que não se envolveram com o problema. “É um dado a ser comemorado, pois demonstra a efetividade das ações de sensibilização junto aos motoristas, por intermédio do Projeto de Educação Continuada, apoiado e adotado pelas empresas que fazem parte do Programa Na Mão Certa”, diz a Gerente de Programas e Relações Empresariais da Childhood Brasil, Eva Dengler.

Apesar de manter as mesmas características de 2005, 2010 e 2015, a pesquisa evoluiu a cada atualização, com a busca de dados que permitiram à Childhood Brasil ampliar sua atuação através do Programa Na Mão Certa.

A pesquisa também é um instrumento decisivo para as empresas, na medida em que apresenta um raio-x não apenas em relação à convivência do caminhoneiro com o problema da exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas, mas também traz dados sobre como é sua vida, sua relação com o trabalho, com os amigos e com a família.


Auditório lotado para o ponto alto do Encontro Empresarial

Os dados apresentados confirmam que a sensibilização dos caminhoneiros e o envolvimento das empresas gerou resultados concretos, por conta da significativa queda no número de profissionais que afirmam envolvimento com o problema.

Ainda existem, por outro lado, questões a serem solucionadas e certamente irão orientar a atuação das empresas nos próximos anos. Em suas respostas aos pesquisadores, os caminhoneiros descrevem situações muito divergentes entre as regiões brasileiras. O Nordeste e o Norte, por exemplo, apresentam dados mais problemáticos em relação ao enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes.

A pesquisa serve para aprofundar o entendimento sobre o problema e aprimorar as ações de sensibilização e enfrentamento, tendo como foco prioritário ações de educação continuada junto ao público que pode realmente fazer a diferença: os motoristas de caminhão que rodam pelas estradas brasileiras.

As empresas participantes do Programa Na Mão Certa têm acesso exclusivo à pesquisa. Basta solicitar a senha de acesso para visitar a plataforma digital construída para permitir o acesso a todas as edições do estudo, por intermédio do e-mail atendimento@namaocerta.org.br

 

  Leia também  

Encontro Anual reúne número recorde de empresas
Painel: Empresas e Direitos Humanos
Painel: Avanços na implementação dos pontos de parada e descanso
Momento de diálogo com Trucão encerra 9º Encontro Anual do Programa Na Mão Certa
Empresas apoiadoras do Programa Na Mão Certa em 2015
Globo Estrada Na Mão Certa
De olho no assunto - resumo das principais notícias

 

Voltar