Programa Na Mão Certa

Conheça as diretrizes de comunicação do Programa Na Mão Certa

A Childhood Brasil e o Programa Na Mão Certa entendem que as diretrizes de comunicação são uma maneira eficiente de uniformizar a linguagem usada pelos signatários e serem mais eficientes nas mensagens.

As diretrizes têm o objetivo de orientar as empresas em relação às campanhas de comunicação e outros materiais sobre temas ligados à violência sexual contra crianças e adolescentes.

Acesse aqui para fazer o download do PDF completo com as diretrizes de comunicação. A Childhood Brasil considera a leitura desse documento essencial para profissionais de comunicação e profissionais responsáveis pela produção de conteúdos de divulgação sobre a causa.

Desenvolver uma boa estratégia de comunicação é o primeiro passo para a empresa sensibilizar, da forma adequada, seus motoristas e demais públicos de interesse.

Confira alguns conceitos que constam nas diretrizes:


Violência sexual

Diversos fatores podem estar ligados à violência sexual: condições de pobreza, baixa escolaridade, falta de acesso à programas educativos sobre infância e adolescência, questões de gênero, hábitos culturais, erotização do corpo da criança e do adolescente pela mídia, consumo de drogas, disfunções familiares.

Ao contrário do que muitos imaginam, a violência sexual pode acontecer em todas as classes sociais. Ela pode se manifestar de duas formas: abuso e exploração sexual.


Abuso sexual

Qualquer ato de natureza ou conotação sexual em que adultos submetem menores de idade a situações de estimulação ou satisfação sexual, imposto pela força física, pela ameaça ou pela sedução. O agressor costuma ser um membro da família ou conhecido.


Exploração sexual

Pressupõe uma relação de mercantilização, em que o sexo é fruto de uma troca, seja ela financeira, de favores ou presentes. A exploração sexual pode se relacionar a redes criminosas mais complexas e pode envolver um aliciador, que lucra intermediando a relação da criança ou do adolescente com o cliente.


Como escrever sobre o tema

Sugerimos que os textos sejam simples, objetivos e expliquem o tema de maneira clara. É papel de todos proteger crianças e adolescentes. A sociedade, ao temer falar sobre o assunto por questões morais, ao achar que o problema é do outro porque não há nada “de errado” dentro de casa, ao não denunciar, deixa de cumprir o seu papel.


Expressões adequadas

Algumas expressões devem ser evitadas por serem inadequadas.

Em vez de dizer “menores”, use: “crianças e adolescentes”, “meninos e meninas”, “garotos e garotas” e menores de idade.

MOTIVO: o termo “menor”, usado para designar crianças e adolescentes tem sentido pejorativo.

Em vez de usar “menores trabalhadores do sexo”, refira-se a eles como “crianças e adolescentes em situação de exploração sexual” ou “crianças e adolescentes em situação de exploração sexual comercial” .

MOTIVO: embora esteja baseada em uma relação comercial, a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes vai além do uso da mão de obra, configurando-se como uma das mais graves violações aos direitos da infância.

Em vez de usar “combate”, recomenda-se “enfrentamento”.

MOTIVO: o termo combate traz a ideia de ação pela força, luta, batalha. Enfrentamento, por sua vez, evoca a reunião de diferentes esforços e estratégias para transformar uma realidade. Em nosso caso, queremos reunir diferentes pessoas e instituições para prevenir a violência sexual de crianças e adolescentes, além de mobilizar a sociedade para a proteção de crianças e adolescentes.


Não exponha crianças e adolescentes em hipótese alguma

Um dos desafios de quem trabalha com comunicação e violência sexual é administrar o uso de fotos e vídeos em jornais, revistas, tevês, peças informativas, campanhas e sites. Embora o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) seja claro – seu Artigo 17 recomenda a preservação da imagem e da identidade de meninos e meninas – há muitos veículos de comunicação e campanhas que ainda expões garotos e garotas vítimas das mais diferentes formas de violação de direitos, inclusive a exploração sexual.

Tenha cautela quando divulgar informações sobre o perfil de exploradores ou sobre possíveis sinais de exploração.

Abordagens sensacionalistas podem provocar pânico na sociedade e contribuir para revitimizar as crianças e adolescentes.


Havendo dúvida, a Childhood Brasil estará sempre à disposição para orientar e auxiliar na construção e revisão de textos e outros materiais de comunicação.

Para isso, entre em contato com a Central de Atendimento do Programa Na Mão Certa pelo
e-mail atendimento@namaocerta.org.br.

Lembre-se de considerar, em seu cronograma, o tempo necessário para a revisão do material pela Childhood Brasil.

 

  Leia também  

Relatório do Valor Econômico com desconto para parceiros da Childhood Brasil
Programa Na Mão Certa começará 2014 com novas categorias de participação para as empresas
Empresas realizam ações no Dia Nacional do Caminhoneiro
Conheça as empresas apoiadoras do Programa Na Mão Certa em 2013
Ação Empresarial: Cargill promove evento para caminhoneiros em Goiânia
Ação Empresarial: Encontro com esposas de caminhoneiros na Tic Transportes
Globo Estrada Na Mão Certa
De olho no assunto - resumo das principais notícias

 

Voltar