Programa Na Mão Certa

Camargo Corrêa Cimentos promove I Semana Na Mão Certa

A Camargo Corrêa Cimentos, com sede na capital de São Paulo, aderiu ao Pacto Empresarial contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras. Na semana de 22 a 26 de outubro a empresa realiza, em sua unidade de Pedro Leopoldo (MG), a I Semana Na Mão Certa, voltada para os caminhoneiros. Dois mil profissionais do asfalto passam mensalmente pela fábrica da empresa em Minas Gerais. Estão planejadas atividades de sensibilização para o tema, como palestras, teatro, jogos e blitz educativa.

Conversamos com o gerente industrial Maurício Anacleto de Queiroz sobre a adesão ao Pacto Empresarial e a atividade em Pedro Leopoldo , que será levada também às outras cinco fábricas no Brasil. Ele explicou que unir esforços para enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes é uma postura totalmente alinhada aos valores da empresa, que tem como um dos pilares da sustentabilidade a eqüidade social, com geração de oportunidades para as pessoas. A entrevista:

Na Mão Certa – Por que a Camargo Corrêa Cimentos aderiu ao Pacto?

Mauricio Anacleto de Queiroz – A Camargo Corrêa Cimentos tem uma relação muito próxima com os profissionais do asfalto em função do transporte de cimento ser feito, na sua maioria, por rodovias. Os beneficiários do Programa Na Mão Certa são o público-alvo definido pelo Instituto Camargo Corrêa, crianças e adolescentes. A empresa percebeu que pode contribuir e muito com a diminuição da exploração sexual de crianças e adolescentes ao aderir ao Pacto Empresarial.

O que o Programa Na Mão Certa tem em comum com os valores éticos da empresa?

A diretriz do grupo Camargo Corrêa inclui a sustentabilidade tendo como um dos pilares a eqüidade social, com geração de oportunidades para as pessoas. Unir esforços para enfrentar a exploração sexual de crianças e adolescentes é uma ação totalmente alinhada aos valores da empresa e dos nossos profissionais. A I Semana Na Mão Certa, na unidade de Pedro Leopoldo, vem evidenciar em termos de ações práticas junto a vários parceiros que podemos mudar essa realidade.

Qual é o objetivo da I Semana Na Mão Certa e o que consta da programação?

O objetivo da I Semana Na Mão Certa é levar informações a respeito do enfrentamento da exploração sexual de crianças de adolescentes nas rodovias brasileiras de forma a termos o maior número de profissionais do asfalto aderindo ao programa. O sucesso desse evento e dos próximos que virão está na mobilização dessas pessoas em se tornarem multiplicadores. Vamos oferecer várias atrações: música ao vivo, jogos, tendas com informações para cuidado com a saúde (medição de pressão, diabetes, DST, etc.), palestras de conselheiros tutelares e outros envolvidos no tema, teatro educativo, associadas à entrega do Guia Na Mão Certa para caminhoneiros e de adesivos, além de sorteio de brindes e uma blitz educativa com apoio da Polícia Rodoviária Estadual, entre outros.

Como o setor de transporte rodoviário de cargas está inserido na cadeia de valor da empresa?

O transporte de cimento é feito por empresas especializadas. No caso específico de Pedro Leopoldo há um contrato com a Cesa Transportes, que é o operador logístico. Esse transportador tem frota cativa e também trabalha com frotas “spot” [contratadas em um ambiente eletrônico de negociação de fretes]. Além da Cesa temos como parceiros na I Semana Na Mão Certa a Usifast, a Rodolatina e a Transvalente, todas transportadoras. A Camargo Corrêa Cimentos tem sua atuação nas regiões Centro-Oeste, Sudeste e Sul. Como a estratégia da empresa é implementar ações do Programa Na Mão Certa em todas as suas unidades, os profissionais do asfalto que trabalham conosco nessas regiões terão a oportunidade de aprender sobre o tema. Em Pedro Leopoldo temos, em média, 2 mil profissionais do asfalto passando todo mês pela nossa fábrica.

A Camargo Corrêa Cimentos pretende adotar restrições comerciais em relação a fornecedores que contribuírem com a exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas?

Ainda não discutimos esse tema.

Quais são os próximos passos da campanha?

Vamos realizar a I Semana Na Mão Certa em Bodoquena (MS), Apiaí (SP), Ijaci (MG), Santana do Paraíso (MG) e Jacareí (SP). Essas cidades têm unidades industriais da Camargo Corrêa Cimentos.

Perfil

O grupo Camargo Corrêa atua no setor de cimento por meio de duas empresas: no Brasil, a Camargo Corrêa Cimentos, fabricante dos produtos Cauê, e na Argentina por intermédio da Loma Negra, adquirida em 2005 numa operação que criou um dos maiores complexos cimenteiros da América Latina. No total são 15 fábricas com capacidade para produzir anualmente 13 milhões de toneladas de cimento. As duas companhias empregam cerca de 2,4 mil funcionários.

Tradicional no mercado, a Cauê produz mais de três milhões de toneladas de cimento por ano. Com sede em São Paulo , capital, possui seis unidades de produção: em Apiaí (SP), Bodoquena (MS), Pedro Leopoldo (MG), Santana do Paraíso (MG), Ijaci (MG) e Jacareí (SP). A Cauê tem como valores o respeito ao indivíduo, a integridade – agir conforme princípios éticos e morais em todas as situações –, a transparência, a coerência, o respeito à natureza, o respeito à saúde e a vontade contribuir para realizações que façam diferença para as pessoas, a empresa e a comunidade.

 

  Leia também  

Rainha Silvia: "Não se enfrenta uma causa difícil sem apoio e colaboração do maior número possível de aliados"
Galeria de fotos do terceiro jantar black-tie da Childhood Brasil
Governo destina R$ 2,9 bi para garantir direitose reduzir violência contra crianças e adolescentes
Locadoras de automóveis contra o turismo sexual
Com a campanha no peito
De olho no assunto – resumo das principais notícias

 

Voltar