Programa Na Mão Certa

Construção de caminhos para o enfrentamento do problema

Organizadas em quatro grupos de trabalho, as empresas participantes do 1º Encontro Empresarial Na Mão Certa realizaram a oficina "Construção de Caminhos". O desafio central foi debater estratégias para transformar os compromissos do Pacto Empresarial em ações concretas e passíveis de monitoramento.

Sete compromissos orientaram a oficina:

  1. Melhorar as condições de trabalho do caminhoneiro, incluir o tema nos treinamentos desse profissional e difundir as boas práticas.
  2. Participar continuamente de campanhas para erradicar o problema.
  3. Estabelecer relações comerciais com fornecedores da cadeia de serviços de transporte que estejam compromissados com os princípios do pacto.
  4. Informar e incentivar seus funcionários a participar de ações para acabar com o problema nas rodovias brasileiras.
  5. Apoiar, com recursos próprios e/ou do FIA – Fundo da Infância e da Adolescência, em parceria com governos e/ou organizações sem fins lucrativos, projetos de reintegração social de crianças e adolescentes vítimas de exploração sexual comercial ou vulneráveis a ela.
  6. Monitorar os resultados de suas ações e divulgar à sociedade.
  7. No caso de federações e entidades empresariais, recomendar que seus associados observem as práticas do pacto e sejam signatários dele.

 

O desafio na construção de caminhos é criar ações abrangentes e que atendam os diferentes elos da cadeia produtiva, de maneira a alcançar todos os setores da economia relacionados com a causa.

É uma cadeia produtiva gigantesca, já que mais de 60% de toda a carga que circula pelo país é transportada por meio terrestre. Neste aspecto, melhorar as condições de trabalho do caminhoneiro e sensibilizá-lo para atuar como um agente da causa é considerado fundamental para a realização dos objetivos propostos pelo pacto.

Desde 2004 o Childhood Brasil (Instituto WCF) realiza ações, parcerias e estudos que têm o caminhoneiro como foco central. O primeiro passo foi entender quem é esse profissional, como ele vê o problema e como pode ser sensibilizado de maneira a tornar-se um agente de proteção e de mobilização. Na busca de respostas, foi realizada a pesquisa “A vida dos caminhoneiros brasileiros”, o mais amplo levantamento realizado com motoristas de caminhão no Brasil abordando o tema da exploração sexual de crianças e adolescentes.

A pesquisa apresenta dados precisos de como são as condições de trabalho desse profissional e qual seu relacionamento com o problema. Um dado marcante é que a maioria dos entrevistados se mostrou disposta a participar de ações de enfrentamento à exploração. Contudo, a pesquisa também revela que o caminhoneiro não sabe como agir diante da situação, o que leva à necessidade de organizar ações específicas para esse profissional, principalmente porque cerca de 1/3 dos entrevistados admitiu já ter feito sexo com crianças ou adolescentes.

A realização de ações direcionadas aos caminhoneiros foi um dos principais temas debatidos na oficina “Construção de Caminhos”, bem como as formas de envolver as cadeias produtivas e de monitorar os resultados das ações.

Os participantes do encontro perceberam que se consolida uma grande oportunidade para o setor produtivo incluir em suas práticas de responsabilidade social o enfrentamento à exploração sexual de crianças e adolescentes nas estradas. Após as reuniões dos grupos de trabalho em torno do tema “Construção de Caminhos”, os quatro grupos apresentaram sua visão do fenômeno e apontaram propostas para seu enfrentamento.

Cada grupo foi identificado por uma cor: azul, verde, vermelho e laranja. Nos próximos dias, um resumo das apresentações estará disponível para download no site do Programa na Mão Certa em link restrito aos signatários.

Clique aqui para ler o resumo executivo da pesquisa “A vida dos caminhoneiros brasileiros” ou clique aqui para acessar a íntegra do documento.

Leia também
Empresas propõem ações para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias.

 

Voltar