Programa Na Mão Certa

Campanha



Childhood Brasil apoia campanha nacional de enfrentamento
à exploração sexual de crianças e adolescentes no Brasil

Iniciativa conjunta da Childhood Brasil, Instituto Liberta e Fundação Abrinq, com apoio do Ministério de Direitos Humanos, pretende conscientizar a população e estimular denúncias

A Childhood Brasil, juntamente com o Instituto Liberta e a Fundação Abrinq, com apoio do Ministério de Direitos Humanos, lançam uma campanha publicitária com o objetivo de promover a conscientização da população brasileira sobre a exploração sexual de crianças e adolescentes. Intitulada "Números", a campanha é composta por um vídeo de 1 minuto, com a apresentadora Xuxa Meneghel como locutora, e 5 diferentes cartazes que estarão presentes em aeroportos e terminais rodoviários do país, além de contar com o apoio dos maiores veículos de comunicação do Brasil para ampla cobertura na mídia nacional.

A proposta é evidenciar dados relativos ao grave problema no país, com o objetivo de despertar a consciência e engajamento social de forma a ampliar a quantidade de denúncias pelo telefone, por meio do canal Disque 100.

Uma vez que a campanha utiliza-se de imagens de impacto com pessoas reais, tomou-se o cuidado de que todos os adultos e crianças que participam do filme e das peças gráficas fossem atores contratados.

Meio milhão de meninas e meninos
A exploração sexual de crianças e adolescentes não é um problema exclusivo do Brasil. Trata-se, infelizmente, de uma questão mundial, como aponta estudo realizado recentemente por organizações internacionais e que resultou em um relatório de referência, o Global Study On Sexual Exploitation of Children in Travel and Tourism (2016), que aborda a problemática da exploração sexual no contexto do turismo. No Brasil, a exploração sexual de crianças e adolescentes tem números assustadores: atinge cerca de 500 mil crianças e adolescentes em todo o país. Da mesma forma, é alarmante o desconhecimento da sociedade a respeito do assunto ou, pelo contrário, a naturalização da situação envolvendo esses crimes.

A questão, que aflige meio milhão de meninas e meninos submetidos a uma vida indigna, gera consequências traumáticas. Diante deste quadro, é responsabilidade do poder público e da sociedade civil proteger as crianças e adolescentes que já se encontram nessa situação e, sobretudo, evitar que outros ingressem nessa dolorosa estatística.

Referência nacional
A Childhood Brasil é uma organização brasileira que trabalha, desde 1999, para influenciar a agenda de proteção da infância e adolescência no país. A organização tem o papel de garantir que os assuntos relacionados ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes sejam pauta de políticas públicas e do setor privado, oferecendo informação, soluções e estratégias para as diferentes esferas da sociedade.

Sua atuação no país ao longo de 17 anos tornou-a referência nacional sobre o tema, razão pela qual foi convidada a participar da campanha "Números", por meio de uma coalisão que integra a sociedade civil organizada e governos. Durante esse período, a Childhood Brasil tem produzido diversos estudos, pesquisas e conhecimento sobre a realidade da violência sexual contra crianças e adolescentes no Brasil. Entre seus programas, destacam-se o Programa Na Mão Certa, cuja principal estratégia há 10 anos é a sensibilização dos caminhoneiros para atuarem como agentes de proteção dos direitos de crianças e adolescentes, com foco no enfrentamento da exploração sexual; e o Depoimento Especial, metodologia para que crianças e adolescentes vítimas ou testemunhas de violência sexual possam ser ouvidos pelos sistemas de segurança e justiça de maneira diferenciada e protegida, evitando a revitimização ou a revivência do trauma.

O caminho da prevenção
"Essa campanha é mais um importante passo para jogar luz a essa grave violação dos direitos humanos contra crianças e adolescentes. O enfrentamento da exploração sexual exige o engajamento de todos e, por isso, a prevenção pela informação é estratégica para evitar que mais meninos e meninas sejam submetidos a essa situação", explica Ana Maria Drummond, diretora-executiva da Childhood Brasil.

A organização acredita que campanhas de conscientização e denúncia são importantes para dar visibilidade ao problema e romper o ciclo da violência, como primeiros passos rumo ao objetivo de mudarmos a realidade da proteção da infância no Brasil, o que só acontecerá pela via da prevenção e o esforço conjunto de governos, sociedade civil e iniciativa privada.

Nesse sentido, a Childhood Brasil defende a importância de realizar um trabalho de prevenção da violência sexual nas escolas, comunidades e ambiente familiar. A perspectiva da igualdade de direitos no ambiente educacional e familiar irá prevenir que a violência sexual aconteça. A partir desse olhar, a prevenção assume inclusive um caráter de autoproteção, permitindo que a criança e o adolescente saibam distinguir um toque afetivo de um abuso.

Para a Childhood Brasil, a violência sexual contra crianças e adolescentes é produto de uma cultura machista em que o corpo feminino é visto como objeto e a promoção dos princípios do respeito aos direitos humanos nos currículos escolares, como previsto no Plano Nacional de Educação (PNE), ainda não foi amplamente implementada. A exploração e o abuso sexual de meninos e meninas causam severas consequências físicas e psicológicas que tendem a dificultar o correto desenvolvimento das vítimas.

É responsabilidade de toda a sociedade, governos e setor privado agir para que as 500 mil crianças e adolescentes que hoje sofrem essa terrível violência possam, no futuro, não precisarem mais ser objetos de campanhas de conscientização.

 

Voltar